Comunicado conjunto ABRATES-SINTRA, nota de falecimento


O tempo e a simpatia
Ano de 2010. Congresso do Proz, em São Paulo.
Logo que cheguei, eu estava meio isolado, aquela sensação de “não conheço ninguém aqui”, só conhecia o pessoal pelo Orkut, mas uma pessoa puxou assunto comigo e foi muito simpática. Depois disso, fiquei mais à vontade e conheci muitos outros colegas. Esta pessoa simpática se tornou um contato permanente para todos os assuntos da profissão.

Ano de 2014. Formação de chapa para a Diretoria da ABRATES.
Surpresa! A pessoa simpática também estava na chapa e começamos a conversar mais sobre diversos assuntos da Associação, de como fazer as coisas acontecerem.

Ano de 2015. VI Congresso da ABRATES, em São Paulo.
Alguém vem correndo até mim e diz: na sala tal há 3 estrangeiros e não temos intérpretes! A cabine está vazia!
Sai desesperado para ir até a sala com palestras para intérpretes e pedir a uma boa alma que se disponibilizasse para ajudar. Mas antes de chegar à sala dos intérpretes, uma pessoa simpática me viu e me parou. Perguntou o que houve e eu contei a ela. Neste momento, ela olhou para mim e disse: “Eu ajudo. Não sou intérprete e morro de medo de cabine, mas alguém precisa fazer a interpretação para que eles aproveitem a palestra.”

Ano de 2016. Formação da chapa para a nova Diretoria da ABRATES.
Consultei algumas das pessoas que estavam na diretoria anterior para formarem comigo a nova chapa. Ao mesmo tempo triste e empolgada, uma pessoa simpática me disse que não poderia continuar na diretoria, pois estava no meio de uma grande mudança em sua vida, partindo para outro país. Ela queria se dedicar mais à família e não ficaria contente em não se dedicar muito à Associação. Mesmo assim, se colocou à disposição para ajudar sempre que precisássemos.

Sábado, 4 de março de 2017. Pelo Messenger do Facebook.
Uma pessoa simpática me chama para falar sobre o Congresso e conclui: “Não sei se conseguirei ir, mas sei que quero e que será uma beleza!”

Trabalhamos por dois anos na Diretoria da ABRATES com a Adriana Caraccio-Morgan. Tempo mais que suficiente para aprender a admirá-la por sua simpatia e competência.

Ela nos deixou hoje, aos 49 anos. Tempo insuficiente para todos nós que desfrutamos de sua presença, dedicação e simpatia.
(William Cassemiro - Presidente da ABRATES)

A presença serena, ponderada e sorridente da Adriana sempre nos acalmou nas reuniões e congressos.

Pessoalmente, minha experiência com ela foi das mais carinhosas e a notícia de sua partida para Londres me entristeceu porque pensei que continuaria contando com ela por aqui, mas é a vida...

Alguém disse, não sei quem, mas um grande amigo sempre citava esta frase: “Partir sempre, não importa para onde”. Só não pensei que este “partir” poderia significar algo tão doído e tão cedo.
Que ela descanse, como sempre serena e sorridente, no colo de Deus, é o meu desejo e o de todos nós, tenho certeza.
(Liane Lazoski - Presidente do SINTRA)

As Diretorias da ABRATES e do SINTRA estão de luto pela perda precoce de uma grande colaboradora e amiga.

Adriana, sua simpática, que você tenha muita LUZ.

Desejamos força para a família.


10/03/2017.








[ Voltar ]