Informações para tradutores e intérpretes profissionais

As práticas do mercado de tradução de multimídia
O mercado da área que vem sendo denominada tradução de multimídia ou tradução audiovisual é bastante complexo e diversificado. De fato, chamá-lo de "o mercado" é uma generalização, pois há vários ramos de atividade, profissionais, práticas e parâmetros muito distintos, de modo que não necessariamente quem é especialista em um desses nichos tem familiaridade com os outros. O que essas várias modalidades de tradução têm em comum é o fato de trabalharem com materiais que envolvem textos escritos, sons e/ou imagens, muitas vezes precisando operar uma transferência entre um meio e outro.
Este texto visa esclarecer os itens apresentados na sugestão de preços do SINTRA e a terminologia relacionada a esta área, lembrando que a tradução é sempre para a língua portuguesa e que versão se refere à tradução do português para uma língua estrangeira.

Transcrição de áudio
Esta tarefa consiste em transcrever uma gravação sonora na forma de um texto escrito. Para realizar um bom serviço, os profissionais investem em equipamentos que lhes propiciem a melhor qualidade sonora, controle preciso sobre a reprodução do áudio gravado e velocidade na transcrição. Um detalhe importante a ser combinado entre o cliente e o prestador do serviço é se o objetivo da transcrição é transmitir o conteúdo daquilo que foi dito ou se a forma deve ser priorizada. No primeiro caso, o texto respeitará mais a norma culta e sua leitura será mais fluente, estando adequada aos padrões de textos escritos. Para isso, pequenos erros, hesitações, variações de pronúncia, etc. serão eliminados na transcrição. No segundo caso, o transcritor empregará diversas convenções para representar justamente esses aspectos da língua oral, que normalmente não constam nos textos que estamos habituados a ler. Para que as duas partes saibam exatamente o que esperar do serviço, essas questões devem ser previamente discutidas.

Tradução para legendas
A legendagem consiste na exibição de textos sintéticos de forma sincronizada com os diálogos ou a narração de um filme ou programa, e a tradução para esse fim deve ser realizada por um profissional especializado. Há dois sub-mercados bem diferentes de tradução para legendas: o de cinema e o de televisão, VHS ou DVD.
No caso do cinema, os filmes em película de 35mm são organizados em rolos que geralmente se dividem em partes duplas com 20 minutos de duração - por isso os preços praticados tendem a se referir à unidade básica de parte simples, com 10 minutos. O material mínimo que o tradutor deve receber é o roteiro com a marcação, a qual informa a pietagem (número do pé de filme e do fotograma) na qual cada segmento de diálogo começa e termina. Cada segmento marcado corresponderá a uma legenda, cujo tamanho o tradutor saberá dimensionar a partir da pietagem fornecida. Em geral não é necessário digitar essa marcação, mas caso isso seja exigido pelo cliente há uma remuneração adicional. Além disso, como o roteiro ou pelo menos uma lista de diálogos é fundamental para que a pietagem seja marcada, quando não houver roteiro original o tradutor pode ser contratado para fazer o levantamento dos diálogos, isto é, transcrevê-los com eventuais informações contextuais pertinentes - serviço separado que é remunerado à parte.
Já no caso de televisão, VHS e DVD não há pietagem, pois não mais se trabalha com rolos de filme. O tradutor deve sempre receber uma cópia do material a ser traduzido e é fundamental estabelecer previamente as condições técnicas do serviço: se há ou não roteiro, se cabe ou não ao tradutor segmentar as legendas ("spotting") e marcar o tempo de entrada e saída de cada legenda ("timing", indicado em valores de hora, minuto, segundo e quadro) e a natureza do material, visto que, diferentemente da maioria dos filmes exibidos no cinema, inúmeros vídeos podem ser extremamente técnicos ou voltados para um público muito específico, que o tradutor precisa conhecer. Como o tradutor não utiliza a marcação de pietagem, o levantamento dos diálogos deixa de ser necessário e, se não houver roteiro, a tradução pode ser feita diretamente a partir do vídeo - serviço mais trabalhoso, com preço diferenciado. Em geral não há uma diferença de remuneração com relação à necessidade ou não de segmentação das legendas, mas a marcação de tempo, que determinará a sincronia das legendas com as falas, é uma tarefa especializada que requer o uso de um programa de computador específico e algumas horas de trabalho, tendo, portanto, um custo adicional.

Tradução para dublagem
Na dublagem, os canais de áudio com os diálogos ou a narração originais são substituídos por gravações traduzidas em outra língua que procuram respeitar os movimentos labiais, a duração, a entonação e a emotividade das falas - outro tipo de tradução bastante especializado. Os preços praticados costumam ser o dobro dos de legendagem, seja no caso do cinema ou de TV, VHS ou DVD e respeitando os valores adicionais no caso da falta de roteiro, filmes técnicos e versão.
O tradutor precisa ter em mãos o material audiovisual e informações sobre o tempo de duração de cada fala, preferencialmente incluindo o roteiro completo. Ao contrário da legendagem, neste tipo de tradução todo e qualquer som humano deve ser indicado - espirros, suspiros, gemidos, gritos, rádio da viatura policial, TV ao fundo etc. As "telas" ou "placas" também devem ser traduzidas e indicadas como tal. Não é preciso um programa computacional específico. Normalmente emprega-se um editor de textos e segue-se a padronização visual determinada pelo estúdio. O tempo de cada fala é marcado por um funcionário do próprio estúdio de dublagem, que divide o texto traduzido em anéis de 20 segundos cada; esse roteiro marcado é então utilizado pelo diretor de dublagem e pelos atores/dubladores.

Texto de autoria de Carolina Alfaro de Carvalho, com a colaboração de Adriana Caraccio Morgan, Monika Pecegueiro do Amaral e Sabrina Martinez.

 

 

[ Topo ]








[ Voltar ]