Informações para estudantes e professores de tradução e interpretação

Informações para estudantes e professores de tradução e interpretação


O que devo fazer para me tornar tradutor ou intérprete?
A profissão de tradutor ou intérprete não é "regulamentada". Isto significa, na prática, que qualquer um pode exercê-la. No entanto, não basta saber línguas para ser tradutor ou intérprete: é preciso fazer cursos específicos para aprender a teoria e a técnica da tradução e da interpretação. Existem cursos de graduação, extensão e pós-graduação (atualização e especialização) na área, em universidades de todo o Brasil. Além disso, cursos de idiomas, consulados e outras entidades muitas vezes oferecem cursos específicos.
Para se manter atualizado na profissão é bom sempre estudar muito, ler muito, informar-se, fazer cursos de reciclagem.
Se quiser ver uma lista de cursos superiores de tradução e interpretação, consulte este site:

Universia
http://www.universiabrasil.net/ondeestudar/

Se quiser dados mais precisos, bem como avaliações, pesquise o site do INEP - Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, que é ligado ao MEC e realiza a avaliação de cursos no Brasil:
http://www.inep.gov.br/default.asp


[ Topo ]

O que devo fazer para me tornar tradutor juramentado?
Para ser tradutor juramentado é preciso fazer um concurso público organizado pela Junta Comercial da região ou município onde a pessoa reside. Para maiores informações sobre a realização de concursos é necessário dirigir-se a esta Junta Comercial. Note-se, porém, que esses concursos não acontecem com muita freqüência.
O site da Associação Profissional dos Tradutores Públicos e Intérpretes Comerciais de São Paulo (ATPIESP) http://www.atpiesp.org.br/ traz informações bastante detalhadas, bem como o da Associação dos Tradutores Públicos do Rio de Janeiro (ATPRIO) http://www.atprio.com.br/pages/menu.htm


[ Topo ]

O que devo fazer para me iniciar na profissão?
Para se iniciar na profissão, há alguns passos iniciais que você pode dar:

1. Preparar seu currículo, bem como um material de propaganda dos seus serviços, tais como cartão de visitas, folder etc.
2. Criar seu site na internet, com seu currículo e outras informações pertinentes para clientes em potencial;
3. Procurar seus antigos professores e/ou empresas onde tenha feito seu estágio;
4. Procurar as escolas de idiomas de sua cidade ou região e deixar com eles seu material;
5. Procurar as escolas estrangeiras (americana, francesa, alemã etc.) da cidade ou região e deixar com eles seu material;
6. Procurar os consulados estrangeiros (americano, francês, alemão etc.) da cidade ou região e deixar com eles seu material;
7. Procurar, pelos catálogos telefônicos de sua cidade ou região, as empresas que mais provavelmente precisem de traduções e deixar com eles seu material;
8. Procurar a Junta Comercial da sua cidade ou região e deixar com eles seu material;
9. Procurar grupos de estudantes de áreas que possam incluir a tradução em seus serviços (publicidade, propaganda, marketing etc.) e tentar formar grupo com eles, oferecendo serviços;
10. Anunciar seus serviços em sites específicos para o mercado de tradução;
11. Procurar agências de tradução e candidatar-se a uma vaga. Muitas agências de tradução oferecem testes aos candidatos a vagas de tradutor;
12. Procurar pessoalmente ou enviar seu currículo para editoras por e-mail ou correio convencional. Focalize principalmente as pequenas editoras e gráficas de sua cidade ou região;
13. Afixar cartazes em faculdades, onde alunos de vários cursos (medicina, odontologia, economia, administração etc.) tanto em nível de graduação como pós-graduação sempre precisam dos serviços de tradutores;
14. Incentivar os dirigentes da instituição onde você estuda a criar um "escritório modelo" para a prestação de serviços de tradução.


[ Topo ]

Que livros posso ler para me iniciar nos estudos da tradução, como aluno ou professor?

Bibliografia sugerida:

ARROJO, Rosemary, Oficina da tradução: a teoria na prática. São Paulo: Ática, 1986.

ARROJO, Rosemary, Tradução, desconstrução e psicanálise. Rio de Janeiro: Imago, 1993.

ARROJO, Rosemary, O signo desconstruído: implicações para a tradução, a leitura e o ensino. Campinas: Pontes: 1992.

AZENHA JÚNIOR, João. Tradução técnica e condicionantes culturais: primeiros passos para um estudo integrado. São Paulo: Humanitas / FFLCH / USP, 1999.

BARBOSA, Heloisa Gonçalves, Procedimentos técnicos da tradução: uma nova proposta. 2ª ed. Campinas: Pontes, 2004.

BENEDETTI, Ivone C. e SOBRAL, Adail (orgs). Conversa com tradutores: balanços e perspectivas da tradução. São Paulo: Parábola Editorial, 2003.

MARTINS, Márcia A. P. (org.) Visões e identidades brasileiras de Shakespeare. Rio de Janeiro: Lucerna, 2004.

PAGANO, Adriana (org.). Metodologia de pesquisa em tradução. Série Estudos Lingüísticos no. 3. Belo Horizonte: FALE-POSLIN-UFMG, 2001.

PAGANO, Adriana, ALVES, Fábio, e MAGALHÃES, Cecília. Traduzir com autonomia: estratégias para um tradutor em formação. São Paulo: Contexto, 2000.

PAGANO, Adriana, MAGALHÃES, Cecília e ALVES, Fábio (orgs.). Competência em tradução: Cognição e discurso. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2005.

ROBINSON, Douglas. Construindo o tradutor. Tradução de Jussara Simões. Bauru, SP: EDUSC, 2002.

TRAVAGLIA, Neuza Gonçalves. Tradução retextualização: a tradução numa perspectiva textual. Uberlândia, EDUFU, 2003.

VENUTI, Lawrence. Escândalos da tradução: por uma ética da diferença. Tradução de Laureano Pelegrin, Lucinéia Marcelino Villel, Marileide Dias Esqueda, Valéria Biondo. Revisão técnica Stella Tagnin. Bauru, SP: EDUSC, 2002.

WYLER, Lia. Línguas, poetas e bacharéis: uma crônica da tradução no Brasil. Rio de Janeiro: Rocco, 2003.


[ Topo ]

Universidade e formação de tradutores e intérpretes
Os cursos de formação de tradutores e intérpretes são, normalmente, cursos de Graduação (Bacharelado).
O tradutor ou intérprete pode prosseguir seus estudos em cursos de Extensão nas faculdade ou universidades.
Além disso, é possível cursar a Pós-graduação lato sensu (Atualização e Especialização) em universidades brasileiras ou no exterior para obter um treinamento profissional ainda mais aprofundado.
Já a Pós-graduação stricto sensu (mestrado e doutorado) tem como finalidade a formação de pesquisadores e não de tradutores ou intérpretes. Assim, quem deseja ser pesquisador ou professor universitário pode seguir este caminho.
No momento, só há curso de Mestrado e Doutorado em tradução no Brasil na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), em Florianópolis [http://www.ufsc.br/]. Em outras universidades brasileiras, há Linhas de Pesquisa voltadas especificamente para os Estudos da Tradução ou há professores doutores que orientam pesquisas nessas áreas.

[ Topo ]








[ Voltar ]